Chorume: o perigo dos lixões

Os lixões estão na mídia, ou seja, recentemente tornaram-se assuntos em matérias diversas na TV e nos demais meios de comunicação. Quem não leu ou viu algo sobre eles?

Mas qual o real perigo desses depósitos de lixo? É verdade que podem explodir? Causam doenças?

Essas e outras questões podem virar tema de aula, não apenas em ciência no ensino fundamental, mas também no ensino médio. Observe alguns trechos da notícia do R7 sobre o assunto e qual ano podemos inserir o assunto em sala.

Ninguém deveria morar em áreas que já foram aterros sanitários ou lixões. É o que diz o geólogo Paulo Lima, da Essencis Soluções Ambientais. Segundo ele, por causa da decomposição do material em metano, um gás volátil, o risco de o local explodir é muito alto.


- Se houver vazamento desse gás para um lugar fechado, como uma casa, por exemplo, e alguém acender um isqueiro, um fósforo ou o próprio fogão, a explosão é certa.

Os principais riscos que as populações que vivem sobre ex-lixões ou ex-aterros não controlados correm estão relacionados à decomposição do lixo orgânico – geralmente alimentos. O resultado líquido desse processo é o chorume, que pode contaminar a água da região e liberar o gás metano, que é altamente tóxico.

Em alguns casos, o metano pode causar câncer e provocar náusea, vertigem, sonolência e irritação nas narinas e nos olhos, explica Cícero Antonio Antunes Catapreta, doutor em saneamento, meio Ambiente e recursos hídricos da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais). Como a composição físico-química do chorume varia muito, o líquido negro pode conter altas concentrações de metais pesados e de micro-organismos nocivos à saúde humana, principalmente em mulheres grávidas, diz o especialista”.

Observando o que negritei, quais discplinas ou conteúdos podemos trabalhar? Microbiologia, reações químicas, saúde…Estou citando algumas apenas. Quais mais você percebe?

No Referencial Curricular da Educação Básica de MS – Ciências, o professor pode aproveitar o asssunto  no 2º bimestre, quando trabalhar os temas Água, Solo e Ar no 6º ano e Química Ambiental no 9º.

Uma sugestão para química: Leve para a sala de aula uma problemática envolvendo a má destinação dos resíduos sólidos – simulação. Divida  os estudantes em segmentos diferentes da sociedade (ONG, governo, etc)  para que cada um elabore um Plano de Estudo da situação. Marque uma data  onde acontecerá a reunião desses grupos  para uma ‘tomada de decisão’ focando a sustentabilidade.

Curtiu o assunto? Veja mais nos links abaixo:

Química – Cadernos Temáticos: Lixo

Mapa: Problemas ocasionados pelo lixo

Aterro sanitário X Lixão

Os cemitérios e o ambiente

Chorume

Os perigos da poluição do solo

O perigo do lixo hospitalar

Necrochorume

Sugestão de livro (para download): Sociedade do Lixo

Tem outra ideia para um Plano de Aula? Já realizou alguma atividade relacionada? Que tal enviar para nós e publicar aqui no blog? Saiba mais acessando: Divulgue seu trabalho – Promova sua escola

Fonte da Imagem: Jornale

Leia também:

Twitter Digg Delicious Stumbleupon Technorati Facebook

11 Respostas para “Chorume: o perigo dos lixões”

  1. Gostaria de saber como certas pessoas não sabem que moram em cima de antigos lixões.
    Será que o mau cheiro já não é exalado antes mesmo de os lixos desabarem nas encostas ou explodirem?

    http://www.portalorganica.com.br

  2. Ministério da Saúde 27. abr, 2010 at 17:23

    Caro blogueiro,

    A vacina contra Influenza H1N1, vírus que já matou 1.632 brasileiros, está disponível nos postos de saúde pública de todo o Brasil para pessoas com maior risco de desenvolver a forma grave da doença. A vacina foi testada, é segura e já foi utilizada por mais de 300 países do Hemisfério Norte. Sábado, 24, começa mais uma etapa da campanha, voltada agora para a vacinação de idosos com doenças crônicas. No entanto, a população das outras etapas – jovens de 20 a 29 anos, grávidas, crianças maiores de 6 meses a menores de 2 anos e doentes crônicos com menos de 60 anos – ainda podem procurar os postos para se vacinar.

    Por isso, é muito importante contar com a sua colaboração! Você pode ajudar por meio de materiais que disponibilizamos especialmente para blogs.

    Para mais informações sobre como se tornar um parceiro, escreva para fernanda.scavacini@saude.gov.br

    Atenciosamente,
    Ministério da Saúde

  3. Faltou um conceituamento de química nesta matéria..
    A contaminação e poluição por chorume é, sim, muito grave…Pode causar a Eutrofização das águas dos rios.

    Mas, em relação ao metano: ele realmente é um gás combustível, isto é, pega fogo, mas o fato de causar câncer está totalmente errado.. O metano é um gás praticamente inerte e é resultado das nossas próprias decomposições de alimento intestinais. Assim, temos metano nos nossos corpos continuamente, sem risco de câncer por isto.

    As pessoas costumam fazer alarde sem conhecimento de causa. Se é para tratar da poluição por chorume, que se estudem bem as consequências para não gerar falácias.

  4. Olá Pauling,

    Obrigada pelo comentário. A postagem se referiu a notícias veiculadas na mídia para que o professor possa trabalhar os conceitos com os alunos. E como você mesmo falou, nem sempre estes conceitos estão de acordo, o que torna o assunto interessante para debate, que é a proposta desta atividade. Levar para sala de aula as discussões do que se fala por aí dos lixões. Não citei nesta o que o professor deve trabalhar ou não, mas um trecho de uma (dentre muitas) notícias veinculadas sobre o assunto e quais possibilidades de conteúdos.

    Agradecemos sua contribuição.

    Abs

  5. Gilson Moura 01. abr, 2011 at 9:15

    Sustentabilidade é uma boa resposta para os dias de hoje, a critividade deste site, mostra essa necessidade. Posso, afirmar que esse é o caminho, aos desenvolvedores e participantes, parabéns, por se preocuparem em levar a conhecimento da população Sul-matogrossense informações de fácil acessibilidade e de tamanha competência.

    Sou da área da Educação e da fiscalização nas questões ambientais. E percebo que exista ainda no Mato Grosso do Sul a necessidade de trabalha por meio do Meio Ambiente, questões interdisciplinares como as apresentadas neste site. Parabéns novamente, e continuem que esse é o caminho. Obrigado por cederem esse espaço.

  6. mauricio augusto gomes passeado 06. mai, 2011 at 22:45

    As atividades humanas produzem muito lixo e isto vem sendo um grande problema para o planeta, pois
    geramos cada vez mais detritos, muitos de difícil decomposição. Mas nem sempre foi assim, quando o
    homem se baseava no extrativismo vegetal para sua sobrevivência, menos resíduos eram gerados, logo
    não havia a necessidade de preocupação com eles.
    Mesmo sendo de fácil decomposição, o excesso de lixo é prejudicial aos ecossistemas. Além de causar
    problemas como a poluição das águas e do solo, na decomposição da matéria orgânica há formação de
    gás metano (CH4), que aquece cerca de 23 vezes mais que o gás carbônico (CO2) e contribui muito para
    o agravamento do efeito estufa.
    A partir do momento em que o homem passou a extrair da natureza mais do que era necessário para
    sua sobrevivência, havendo um excedente para o comércio, a sobra de material foi inevitável e surgiram
    os primeiros problemas relacionados com o lixo: a impossibilidade de armazenamento desta
    quantidade extra que muitas vezes estragava e causava mau cheiro e proliferação de vetores, no caso
    de alimentos, e outros incômodos para a sociedade como ter que destinar um local para o material não
    utilizado.
    Desde a idade da pedra o homem aprendeu a produzir objetos que fossem úteis para o seu cotidiano
    como ferramentas rudimentares. Com o passar do tempo, o homem passou a utilizar outros materiais
    para substituir a madeira e a pedra. Durante um período histórico valorizou-se muito os metais e estes
    foram largamente utilizados, o vidro também já ocupou posição de destaque entre os materiais mais
    utilizados.
    Novas ligas foram surgindo, cada vez mais adequadas e mais práticas para o uso. A evolução de tais
    materiais caminhou junto com a evolução da ciência e com o desenvolvimento de técnicas para
    obtenção destas.
    Até meados do século XVIII, a maior parte o lixo era formado por restos de alimentos. Após a Revolução
    Industrial na Europa, a “cara” do lixo começou a mudar. Houve uma grande exploração de recursos
    naturais em todo o planeta e, ao mesmo tempo, a produção de uma quantidade enorme de resíduos,
    cujo impacto ambiental era desconhecido. Mesmo se organizando para que seja feita a coleta desse
    material, a sociedade ainda enfrenta muitos problemas pois cada vez mais a produção de lixo aumenta.
    No Brasil, a preocupação com a coleta de lixo começou em 1880, quando o então imperador D.Pedro II
    assinou o Decreto número 3024, aprovando o contrato de limpeza e irrigação da cidade de São
    Sebastião do Rio de Janeiro, capital do Brasil naquela época. O contrato foi executado por Aleixo Gary e

    depois por Luciano Francisco Gary, daí a designação “gari” para trabalhadores da limpeza urbana em
    muitas cidades brasileiras, obrigado por o espaço ambiental.

  7. A maior parte da população brasileira e mundial desconhece totalmente o assunto. Portanto, considero de importância muito grande que alguem esteja tratando disso. É imprescindível que se divulgue exaustivamente tal assunto. A gente quase não vê os meios de comunicação televisiva, que é o mais acessado pela população, falarem do assunto. Parabens pele iniciativa!!!!

  8. A importancia de saber sobre o chorume não é só sabermos e também de divulgar o quanto antes para prevenção do planeta.

  9. mais o que é o chorume???

    o chorume é:é um liquido que sai do lixo???????????

  10. é um líquido poluente, de cor escura e odor nauseante, originado de processos biológicos, químicos e físicos da decomposição de resíduos orgânicos.